Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2010

TODAS AS CARTAS DE AMOR SÃO RIDÍCULAS

       Todas as cartas de amor são
       Ridículas.
       Não seriam cartas de amor se não fossem
       Ridículas.

       Também escrevi em meu tempo cartas de amor, 
       Como as outras,
       Ridículas.

       As cartas de amor, se há amor, 
       Têm de ser
       Ridículas.

       Mas, afinal,
       Só as criaturas que nunca escreveram 
       Cartas de amor 
       É que são
       Ridículas.

       Quem me dera no tempo em que escrevia 
       Sem dar por isso
       Cartas de amor
       Ridículas.

       A verdade é que hoje 
       As minhas memórias 
       Dessas cartas de amor 
       É que são
       Ridículas.

       (Todas as palavras esdrúxulas,
       Como os sentimentos esdrúxulos,
       São naturalmente
       Ridículas.)

BREVE HISTÓRIA DA LÍNGUA PORTUGUESA

Nosso idioma está repleto de palavras que evocam mitos e lendas que formavam a religião dos gregos e dos romanos. Sem dúvida, nossos vocábulos ficam mais interessantes quando descobrimos histórias que estão por trás de palavras aparentemente comuns.    Você sabe por que o mês janeiro tem esse nome? Foi em homenagem ao Deus Janus, dono de duas faces, que o primeiro mês do ano recebeu esse nome. Diz a mitologia que Janus tinha duas faces e, portanto, podia, ao mesmo tempo, olhar o término de um ano e o início do outro.    O vocábulo cereal foi em homenagem à deusa Ceres, deusa da plantação e da colheita.    Já o Pluto, cachorro do Mickey, é o nome de um Deus romano. Interessante é o significado do nome pânico. Pânico vem de Pan, um deus com pequenos chifres e corpo de bode da cintura para baixo. Conta a mitologia que esse deus vivia nos bosques correndo atrás das ninfas, causando-lhes um enorme medo, pânico. Qualquer ruído era sinal da presença do deus. Daí, hoje, o termo indicar um medo incontroláve…

A LÍNGUA PORTUGUESA NO BRASIL

Quando os portugueses descobriram o Brasil em 1500, já encontraram aqui uma língua: o tupi , que eles logo batizaram de língua geral . Era aquela falada pelos índios e também pelos jesuítas, que a utilizavam para catequizá-los, além dos comerciantes e outros moradores das terras brasileiras. Os jesuítas acabaram sendo expulsos do Brasil em 1759, e, desde então, o tupi foi proibido como língua geral, mas continuou sendo falado pela população local e contribuiu muito para o enriquecimento do vocabulário português. São inúmeras as palavras que vieram do tupi. Exemplos: carijó, guri, mingau, capim, araponga, arapuca, e outras; entre os nomes de pessoas, podemos citar Jurema, Iara, Araci, Moacir, Ubirajara, Iracema, e entre os topônimos (nomes de localidades) temos Niterói, Ceará, Catumbi e outros. Além do tupi, o português sofreu influência da língua africana, que chegou ao Brasil com os escravos trazidos da África. Sobretudo os dialetos nagô, ioruba e quimbundo, praticados pelos negros que aqui chegar…

DOMÍNIO ATUAL

Com as navegações durante os séculos XV e XVI, os portugueses levaram a sua língua para os vastos territórios que conquistaram na África, na América e na Oceania, ampliando muito seu domínio.    Hoje, o português é a língua oficial de Portugal, do Brasil e dos países que foram colônias portuguesas: Guiné-Bissau, Cabo Verde, Angola, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor. É, portanto, falado em áreas de todos os continentes: Europa (Portugal continental, arquipélago dos Açores e ilha da Madeira), África (arquipélago de Cabo Verde, ilhas de São Tomé e Príncipe e, no continente, Angola, Guiné-Bissau e Moçambique), Ásia (Macau), Oceania (parte ocidental da ilha de Timor) e América (Brasil). Isso sem contar os inúmeros dialetos, que misturam o português com o espanhol, praticados em povoações da Espanha e nas zonas fronteiriças do Brasil. Esse amplo domínio faz da língua portuguesa a quinta entre as mais faladas do mundo, superada apenas pelas línguas chinesa, inglesa, russa e espanhola.

A EXPANSÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA

AS FASES DA LÍNGUA
O linguista José Leite de Vasconcelos, em sua obra Lições de Filologia Portuguesa (Lisboa, 1926), propõe as seguintes etapas na evolução do latim ao português: a) latim lusitânico – língua falada na Lusitânia, desde a implantação do latim até o século V; b) romance lusitânico – língua falada na Lusitânia, do século VI ao IX; c) português proto-histórico – língua falada na Lusitânia, do século IX ao XII; d) português arcaico – do século XIII à primeira metade do século XVI, quando a língua começa a ser  codificada gramaticalmente. Em 1536 é publicada a primeira gramática da língua portuguesa, a Grammatica da Lingoagem Portuguesa, de Fernão de Oliveira; e) português moderno – da segunda metade do século XVI aos dias de hoje.

          Outros autores costumam unir as fases do latim lusitânico e do romance lusitânico naquela que seria a fase pré-histórica da língua, a respeito da qual não existem documentos; outros, como o próprio Leite de Vasconcelos, subdividem as fases…

O GALEGO-PORTUGUÊS

Com a acentuação das diferenças entre os romances peninsulares ocorrida sobretudo durante o domínio árabe constitui-se, na região ocidental da Península Ibérica, uma unidade lingüística que se conservou até meados do século XIV: o galego-português . Não é rigoroso o registro de seu nascimento. Provavelmente existiu desde o século VI, mas os primeiros documentos conhecidos redigidos integralmente em galego-português datam do século XIII. Dessa unidade lingüística surgiria o novo idioma, fruto de uma diferenciação progressiva entre o galego e o português, que, acredita-se, culminou no século XIV, quando os dois se separam definitivamente, passando, assim, a constituir idiomas independentes. O português é então adotado oficialmente como o idioma de Portugal no reinado de D. Afonso Henriques, o primeiro rei de Portugal, que ocupou o trono de 1143 a 1185.

AS LÍNGUAS ROMÂNICAS

Com a invasão da Península Ibérica por povos bárbaros de origem germânica, como os suevos, vândalos e visigodos, no século V d.C., a língua latina, dominante desde o século III a.C, sofreu grandes influências, mas sua base românica, consolidada durante tantos séculos, não foi alterada. No entanto, esse processo, aliado ao esfacelamento do Império Romano, libera as forças linguísticas  desagregadoras, de tal forma que em fins do século V  os dialetos regionais já estariam mais próximos dos idiomas românicos do que do próprio latim.   Começa então o período do romance ou romanço , denominação que se dá à língua nessa fase de transição, que mistura o latim vulgar e os dialetos ibéricos, dando origem às diversas línguas românicas , ou neolatinas.    Entre elas, as mais importantes são: francês, espanhol, italiano, sardo, provençal, rético, catalão, português, franco-provençal, dálmata e romeno.     Mas as invasões à Península Ibérica prosseguiram. No século VIII é a vez dos árabes: vindos do norte da Áfric…

LATIM VULGAR E LATIM LITERÁRIO

O idioma levado pelos romanos para as mais diferentesregiões foi o latim falado, aquele praticado no dia a dia portodas as camadas sociais, e também conhecido como latim
vulgar . Desde o século III a.C., sob a influência grega,o latim escrito com intenções artísticas foi sendo progressivamenteapurado, o que acabou por acentuar a separaçãoentre o latim vulgar e o latim literário. Também chamadolatim clássico, era o idioma ensinado nas escolas e cultivadopor uma pequena elite, entre ela os grandes escritoresde Roma, como Horácio e Virgílio.      Assim, o latim mais inovador, aquele que deu origem anovas línguas, foi o latim vulgar. O termovulgardeve serentendido aqui como a língua falada por todas as camadasda população. Ele inclui as diversas variedades da línguafalada, desde a linguagem corrente, das ruas, até as linguagensprofissionais, os termos usados nas guerras e nas transaçõescomerciais e as gírias. Foi esse latim que os soldados,lavradores, viajantes e funcionários romanos levara…

AS ORIGENS DA LÍNGUA PORTUGUESA

A língua portuguesa provém do latim, o idioma falado por um povo rústico que vivia no Lácio, região central da Península Itálica. O tempo e a expansão do Império Romano fizeram com que a língua latina passasse por inúmeras transformações e conquistasse um papel fundamental na história da civilização ocidental. Foi justamente uma dessas transformações que deu origem à língua portuguesa, num processo rico e dinâmico, que deve ser entendido em seu permanente movimento, porque toda língua é um organismo vivo, que serve para os homens estabelecerem relações entre si, conhecerem outros povos e outras  culturas,realizarem transações comerciais,  enfim, exercitarem sua comunicação diária.     Nesse contato permanente, a língua se constrói, incorpora novos termos, transforma  outros já existentes, influencia outros idiomas  e recebe influências.     O que fez a língua latina se desenvolver foi a  necessidade dos romanos – que habitavam   a Península Itálica – de expandir seu domínio.      Até meados do século IV a…

PROPOSTA DE REDAÇÃO

Com base na leitura dos seguintes textos motivadores e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em norma culta escrita da língua portuguesa sobre o tema: " Valorização do Idoso", apresentando experiência ou proposta de ação social, que respeite os direitos humanos. Selecione, Organize e Relacione, de forma coerente e coesa, Argumentos e Fatos para defesa de seu ponto de vista.


 ESTATUTO DO IDOSO       
Art.3° É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à cultura, à educação, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade,ao respeito e à convivência familiar e comunitária ... Art.4° Nenhum idoso será objeto de qualquer tipo de negligência, discriminação, violência, crueldade ou opressão,e todo atentado aos seus direitos, por ação ou omissão, será punido na forma da lei…

PROPOSTA DE REDAÇÃO

  Com base na leitura dos textos motivadores seguintes e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma culta escrita da língua portuguesa sobre o tema: "O indivíduo frente à ética nacional", apresentando proposta de ação social, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione coerentemente argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Andamos demais acomodados, todo mundo reclamando em voz baixa como se fosse errado indignar-se.
  Sem ufanismo, porque dele estou cansada, sem dizer que este é um país rico, de gente boa e cordata, com natureza ( o que sobrou) belíssima e generosa, sem fantasiar nem botar óculos cor-de-rosa, que o momento não permite, eu me pergunto o que anda acontecendo com a gente.  Tenho medo disso que nos tornamos ou em que estamos nos transformando, achando bonita a ignorância eloqüente, engraçado o cinismo bem-vestido, interessante o banditismo arrojado, normal o abismo em…

EXEMPLO DE DISSERTAÇÃO

Liberdade Carcerária
        O homem contemporâneo não vive mais à mercê da escravidão, nem a ele são negados  os direitos que fundamentam sua liberdade. Ainda assim, a sociedade moderna é incapaz de  tornar tangível a tão sonhada felicidade. Esse emblemático contrassenso  tem duas colunas de sustentação: a passividade coletiva e a evolução estratégica de alienação das massas.
      Sabe-se que, em tempos virtuais, não sobra ao indivíduo tempo real para a realização de todas as suas tarefas ou faltam--lhe critérios para a gestão das mesmas. Tanto é verdadeira a afirmação quanto é comum ouvir, entre lamentos e resmungos, os mesmos jargões de sempre: " Não tive tempo", " Não consegui terminar", "Não vou poder fazer isso", Não vai ser possível de novo". O pior de tudo isso é a sensação de "mea culpa" que se absorve inconscientemente, tornando possível e permissível toda e qualquer situação considerada, socialmente, inconveniente.
     Além  do co…

PROPOSTA DE REDAÇÃO

Com base no artigo apresentado, desenvolva um texto dissertativo, expondo suas ideias, argumentos e opiniões sobre o tema por ele abordado.

O BULLYING E AS SUAS CONSEQUÊNCIAS PSICOLÓGICAS
    Na atualidade, um dos temas que vêm despertando cada vez mais, o interesse de profissionais das áreas de educação e saúde, em todo o mundo, é sem dúvida, o do bullying escolar. Termo encontrado na literatura psicológica  que conceitua os comportamentos agressivos e antissociais, em estudos sobre o problema da violência escolar.                                                                                                                                                                  Sem termo equivalente na língua portuguesa, define-se universalmente como “um conjunto de atitudes agressivas, intencionais e repetitivas, adotado por um ou mais alunos contra outro(s), causando dor, angústia e sofrimento”. Insultos, intimidações, apelidos crueis e constrangedores, gozações que magoam profundament…