10 fevereiro 2015

ALEGRIA


Vê o sertão florir,
rir com a graça divina,
que tanto fascina os cidadãos comuns,
que é a chuva!

Vem de longe, do infinito,
que gera gritos,
algazarra, contos de graça
com sua presença!

É êxtase, não de drogas,
mas de prazer, de satisfação,
que gerará o pão aos necessitados!

Contudo, não é só isso,
pois muda o cenário,
aparecendo até o canário com sua beleza,
leveza no lócus mudado!

De seco a molhado,
trazendo esperanças, destinos,
de gente simples, que precisa de um trilho
para vida ser mudada.





                          MANOEL GUILHERME DE FREITAS. VEREDAS POÉTICAS, 2015.


***************************************************************************************

Nenhum comentário:

Postar um comentário