20 setembro 2012

EU NÃO O CONHECI


    

 Meu filho foi embora e eu não o conheci. Acostumei-me com ele em casa e me esqueci de conhecê-lo. Agora que sua ausência me pesa, é que vejo como era necessário tê-lo conhecido.
     Lembro-me dele. Lembro-me bem em poucas ocasiões.
Um dia, na sala, ele me puxou a barra do paletó e me fez examinar seu pequeno dedo machucado. Foi um exame rápido.
     Uma outra vez me pediu que lhe consertasse um brinquedo velho. Eu estava com pressa e não consertei. Mas lhe comprei um brinquedo novo. Na noite seguinte, quando entrei em casa, ele estava deitado no tapete, dormindo e abraçado ao brinquedo velho. O novo estava a um canto.
     Eu tinha um filho e agora não tenho mais porque ele foi embora. E este meu filho, uma noite, me chamou e disse:
     Fica comigo. Só um pouquinho, pai.
     Eu não podia; mas a babá ficou com ele.
     Sou um homem muito ocupado. Mas meu filho foi embora. Foi embora e eu não o conheci.
    
                                                                           (Oswaldo França Júnior)


Nenhum comentário:

Postar um comentário