12 dezembro 2010

ADVÉRBIO

Advérbio:

É a palavra que modifica o sentido do verbo (maioria), do adjetivo e do próprio advérbio (intensidade para essas duas classes). Denota em si mesma uma circunstância que determina sua classificação:

lugar: longe, junto, acima, ali, lá, atrás, alhures;


tempo: breve, cedo, já, agora, outrora, imediatamente, ainda;


modo: bem, mal, melhor, pior, devagar, a maioria dos adv. com sufixo -mente;


negação: não, qual nada, tampouco, absolutamente;


dúvida: quiçá, talvez, provavelmente, porventura, possivelmente;


intensidade: muito, pouco, bastante, mais, meio, quão, demais, tão;


afirmação: sim, certamente, deveras, com efeito, realmente, efetivamente.



****************************************************** 

As palavras onde (de lugar), como (de modo), porque (de causa), quanto (classificação variável) e quando (de tempo), usadas em frases interrogativas diretas ou indiretas, são classificadas como advérbios interrogativos (queria saber onde todos dormirão / quando se realizou o concurso).


Onde, quando, como, se empregados com antecedente em orações adjetivas são advérbios relativos (estava naquela rua onde passavam os ônibus / ele chegou na hora quando ela ia falar / não sei o modo como ele foi tratado aqui).


As locuções adverbiais são geralmente constituídas de preposição + substantivo - à direita, à frente, à vontade, de cor, em vão, por acaso, frente a frente, de maneira alguma, de manhã, de repente, de vez em quando, em breve, em mão (em vez de "em mãos") etc. São classificadas, também, em função da circunstância que expressam.


Quanto ao grau, apesar de pertencer à categoria das palavras invariáveis, o advérbio pode apresentar variações de grau comparativo ou superlativo.


Comparativo:

 
a. igualdade - tão + advérbio + quanto
b. superioridade - mais + advérbio + (do) que
c. inferioridade - menos + advérbio + (do) que



Superlativo:

 
a. sintético - advérbio + sufixo (-íssimo)
b. analítico - muito + advérbio.


Bem e mal admitem grau comparativo de superioridade sintético: melhor e pior. As formas mais bem e mais mal são usadas diante de particípios adjetivados. (Ele está mais bem informado do que eu). Melhor e pior podem corresponder a mais bem / mal (adv.) ou a mais bom / mau (adjetivo).



Quanto ao emprego:

 
três advérbios pronominais indefinidos de lugar vão caindo em desuso: algures, alhures e nenhures, substituídos por em algum, em outro e em nenhum lugar;


na linguagem coloquial, o advérbio recebe sufixo diminutivo. Nesses casos, o advérbio assume valor superlativo absoluto sintético (cedinho / pertinho). A repetição de um mesmo advérbio também assume valor superlativo (saiu cedo, cedo);


quando os advérbios terminados em -mente estiverem coordenados, é comum o uso do sufixo só no último (Falou rápida e pausadamente);


muito e bastante podem aparecer como advérbio (invariável) ou pronome indefinido (variável - determina substantivo);


otimamente e pessimamente são superlativos absolutos sintéticos de bem e mal, respectivamente;


adjetivos adverbializados mantêm-se invariáveis (terminaram rápido o trabalho / ele falou claro).


As palavras denotativas são séries de palavras que se assemelham ao advérbio.


A Norma Gramatical Brasileira considera-as apenas como palavras denotativas, não pertencendo a nenhuma das 10 classes gramaticais. Classificam-se em função da ideia que expressam:

adição: ainda, além disso etc. (Comeu tudo e ainda queria mais);


afastamento: embora (Foi embora daqui);


afetividade: ainda bem, felizmente, infelizmente (Ainda bem que passei de ano);


aproximação: quase, lá por, bem, uns, cerca de, por volta de etc. (É quase 1h a pé)

;
designação: eis (Eis nosso carro novo);


exclusão: apesar, somente, só, salvo, unicamente, exclusive, exceto, senão, sequer, apenas etc. (Todos saíram, menos ela / Não me descontou sequer um real);


explicação: isto é, por exemplo, a saber etc. (Li vários livros, a saber, os clássicos);


inclusão: até, ainda, além disso, também, inclusive etc. (Eu também vou / Falta tudo, até água);


limitação: só, somente, unicamente, apenas etc. (Apenas um me respondeu / Só ele veio à festa);


realce: é que, cá, lá, não, mas, é porque etc. (E você lá sabe essa questão?);


retificação: aliás, isto é, ou melhor, ou antes etc. (Somos três, ou melhor, quatro);


situação: então, mas, se, agora, afinal etc. (Afinal, quem perguntaria a ele?).



********************************************************************* 

2 comentários:

  1. Anônimo10:15 AM

    As informações poderiam ser mais complexas mas deu pro gasto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo4:14 AM

      você não sabe de nada!!!!!

      Excluir