Pular para o conteúdo principal

O PODER DA VÍRGULA



























 
A Vírgula

     Apesar de parecer simples, o uso da vírgula é um elemento da escrita em que muitos tropeçam. 

O poder de uma vírgula na leitura e na escrita


1.     Uma vírgula pode absolver..., ou não.

- Se os jurados condenam, eu não absolvo.
- Se os jurados condenam eu não, absolvo.

2.     Uma vírgula pode ser audácia..., ou não.

- Beije, não abrace!
  - Beije não, abrace!

3.     Uma vírgula pode ser rotuladora..., ou não.

- Quer café, fresco?
- Quer café fresco?

4.     Uma vírgula pode ser mágoa..., ou não.

- Não, te amo.
- Não te amo.

5. Uma vírgula pode ser uma pausa..., ou não.

- Não, espere.
- Não espere.

6. Uma vírgula pode sumir com seu dinheiro..., ou não.

- 23,4.
- 2,34.

7. Uma vírgula pode ser autoritária..., ou não.

- Aceito, obrigado.
- Aceito obrigado.

8. Uma vírgula pode criar heróis..., ou não.

- Isso só, ele resolve.
- Isso, só ele resolve.

9. Uma vírgula pode criar vilões..., ou não.

- Esse, juiz, é corrupto.
- Esse juiz é corrupto.

10. Uma vírgula pode ser a solução... , ou não.

- Vamos perder, nada foi resolvido.
- Vamos perder nada, foi resolvido.
11. Uma vírgula pode mudar uma opinião..., ou não.

- Não queremos saber.
- Não, queremos saber.

12. Uma vírgula pode decretar um destino cruel..., ou não.

- Perdão impossível, enviar para Sibéria.
- Perdão, impossível enviar para Sibéria.

13. Uma vírgula pode matar alguém..., ou não.

- Matar o homem, não é pecado.
- Matar o homem não, é pecado.

14. Uma vírgula pode ser ameaça..., ou não.

     
- Comigo não, tem problema.
  - Comigo não tem problema.

15. Uma vírgula pode ser uma segunda chance..., ou não.

- Não, tenho outra saída.
- Não tenho outra saída.

16. Uma vírgula pode favorecer..., ou não.

- Deixo a herança para minha esposa, não para minha amante.
- Deixo a herança para minha esposa não, para minha amante.


17. Uma vírgula pode causar confusão..., ou não.

- Enquanto o padre pastava, o burro rezava.
- Enquanto o padre, pastava o burro; rezava.

18. Uma vírgula pode alterar a classe gramatical..., ou não.

- Levar uma pedra de São Paulo ao Rio, uma andorinha só, não faz, verão.
- Levar uma pedra de São Paulo ao Rio, uma andorinha só, não faz verão.

19. Uma vírgula pode esculachar..., ou não.

- Eu quero um pão, cassete!
- Eu quero um pão cassete!

20. Uma vírgula pode complicar..., ou não.
- Pegue o Santo, Antônio.
- Pegue o Santo Antônio.

21. Uma vírgula pode enlouquecer..., ou não.

- Senhor, morto está, tarde chegamos.
- Senhor morto, está tarde chegamos.

22. Uma vírgula pode declarar algo..., ou não.

- Cinema, não. É chato
- Cinema não é chato.


****************************************

Comentários

  1. A VIDA E A MORTE ESTÁ NO PODER DA VÍRGULA!

    ResponderExcluir
  2. é mesmo, interessante o poder da virgula,

    ResponderExcluir
  3. Anônimo2:05 PM

    VERDADEIRAMENTE A VÍRGULA MUDA TODA A TRAJETÓRIA DE UMA VIDA.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

EXERCÍCIOS - ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS E ADJETIVAS

EXERCÍCIOS SOBRE ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS

01. A opção em que a oração subordinada pode ser considerada adverbial condicional é: a) Desde que o vi, me apaixonei. b) Desde que tenho muito trabalho hoje, não poderei sair. c) Permanecerei aqui, desde que você permaneça. d) Diga-me se a proposta lhe interessa. e) Falou sem que nos convencesse.
02. As orações subordinadas adverbiais assinaladas estão classificadas. assinale a alternativa cuja classificação esteja errada: a) “Nunca chegará ao fim por mais depressa que ande.” (oração subordinada adverbial concessiva) b) “Era tal a serenidade da tarde que se percebia o sino de uma freguesia distante, dobrando a finados.” (oração subordinada adverbial consecutiva). c) Mesmo que faça calor, não poderemos nadar. (oração subordinada adverbial concessiva) d) Ela era tão medrosa, que não saía de casa. (oração subordinada adverbial comparativa) e) Se tudo correr bem, levar-te-ei à Europa. (oração subordinada adverbial condicional)
03. No período: "Era tal a serenidade da tarde, que se percebia o sin…

EXERCÍCIOS - FUNÇÕES DA LINGUAGEM

01. Assinale a alternativa em que a função apelativa da linguagem é a que prevalece: A) Trago no meu peito um sentimento de solidão sem fim... sem fim... B) “Não discuto com o destino o que pintar eu assino.” C) Machado de Assis é um dos maiores escritores brasileiros. D) Conheça você também a obra desse grande mestre. E) Semântica é o estudo da significação das palavras. 02. Identifique a frase em que a função predominante da linguagem é a REFERENCIAL: A) Dona Casemira vivia sozinha com seu cachorrinho. B) Vem, Dudu! C) Pobre Dona Casemira... D) O que ... O que foi que você disse? E) Um cachorro falando? 03. A função metalinguística predomina em todos os fragmentos, exceto em: A) “Amo-te como um bicho simplesmente de um amor sem mistério e sem virtude com um desejo maciço e permanente.” (Vinicius de Morais) B) “Proponho-me a que não seja complexo o que escreverei, embora obrigada a usar as palavras que vos sustentam.” (Clarice Lispector) C) “Não narro…