17 fevereiro 2012

Funções da Linguagem

















A realização da comunicação depende de seis elementos principais:

emissor (ou locutor) – quem fala ou transmite a mensagem a alguém.
Receptor (ou interlocutor) – quem recebe a mensagem comunicada pelo emissor.
Mensagem – a informação ou o texto transmitido pelo emissor.
Código – o sistema de sinais que permite a compreensão da mensagem.
Canal – o meio empregado para o envio da mensagem.
Referente – o contexto ou assunto da mensagem.

Em todo processo de comunicação, a linguagem é expressa de acordo com a função que se deseja enfatizar. No momento em que se estabelece uma comunicação verbal, um dos fatores essenciais vistos acima acaba prevalecendo e determinando uma das funções da linguagem.

Há seis funções da linguagem:
01. emotiva,
02. referencial,
03. apelativa,
04. fática,
05. metalinguística
06. poética.

01. Função emotiva (ou expressiva) – Na função emotiva, dá-se ênfase à linguagem do emissor.
Observa-se o envolvimento pessoal do emissor, que comunica sentimentos, inquietações, emoções, avaliações e opiniões centradas na expressão do “eu”, do seu mundo interior. Em geral, os textos poéticos são bons exemplos dessa função porque apresentam uma linguagem subjetiva que enfoca as próprias sensações do emissor.

O guardador de rebanhos - Alberto Caieiro (heterônimo de Fernando Pessoa)

“Há metafísica bastante em não pensar em nada.

O que penso eu do mundo?
Sei lá o que penso do mundo!
Se eu adoecesse pensaria nisso.

Que ideia tenho eu das cousas?
Que opinião tenho sobre as causas e os efeitos?
Que tenho eu meditado sobre Deus e a alma
E sobre a criação do Mundo?
(...)”

02. Função referencial (ou denotativa) – Essa função ocorre quando o destaque na comunicação é o referente, ou seja, o objeto da mensagem ou a situação nela abordada. A intenção do emissor é transmitir informações sobre o referente. Os textos científicos, jornalísticos e didáticos representam exemplos dessa função da linguagem.

Leia o texto jornalístico a seguir, em que o emissor transmite a mensagem ao receptor, informando-lhe sobre os riscos do uso excessivo do petróleo.

O mundo sem petróleo

“Em breve, os seres humanos terão de aprender a viver sem o petróleo. Não porque ele vá acabar no futuro próximo – os especialistas garantem que as reservas mundiais são mais do que
suficientes para satisfazer as necessidades do planeta por até 75 anos. Mas porque continuar usando o combustível que move a economia mundial com essa voracidade faz mal à saúde da Terra. (...)”
                       (Almanaque 2003 – Superinteressante.São Paulo:Abril.)

03. Função apelativa (ou conativa) – Aqui, o objetivo da transmissão da mensagem é persuadir o receptor. Os melhores exemplos são os textos publicitários, pois visam envolver o leitor, influenciar seu comportamento e seduzi-lo com uma mensagem persuasiva.

Observe o texto a seguir, extraído de um anúncio publicitário, uma característica típica da função apelativa: verbos empregados no modo imperativo (fuja, escolha, procure) e pronomes na 2ª ou na 3ª pessoas (o seu agente de viagens).

Fuja do engarrafamento.
“UMA SEMANA EM BÚZIOS A PARTIR DE R$.290,00. É MAIS DO QUE UM PACOTE. É UM PRESENTE.

Vinte e seis praias numa cidade-resort. O primitivo em harmonia com o sofisticado a poucas horas de São Paulo. Escolha a pousada com café da manhã e um passeio de barco grátis. Procure o seu agente de viagens e conheça este pacote nos mínimos detalhes.”

04. Função fática (ou de contato) – Na função fática, enfatiza-se o canal de comunicação ou de contato. A intenção é iniciar um contato por meio de cumprimentos (“Olá”, “Como vai?”, “Bom dia!”) ou de uma abordagem coloquial objetiva e rápida (“Está tudo bem?”, “Você precisa de ajuda?”).

Observe, no texto a seguir, que as personagens visam a uma interação verbal.

Sinal fechado
“Olá, como vai?
Eu vou indo e você, tudo bem?
Tudo bem, eu vou indo, correndo
Pegar meu lugar no futuro, e você?”

(VIOLA,Paulinho da. LP Foi um rio que passou em minha vida,EMI,1970.)

05. Função metalinguística – A função metalinguística tem como fator essencial o código. O objetivo da mensagem é referir-se à própria linguagem. Podem-se encontrar exemplos dessa função em uma cena de filme que analise o cinema, em um poema que fale sobre o poeta e a poesia, em verbetes de dicionários, em textos que estudem e analisem outros textos.

06. Função poética – A função poética ocorre quando se enfatiza a mensagem ou o texto, quando é trabalhada a própria forma da linguagem. A ênfase recai sobre a construção do texto, a seleção e a disposição de palavras no texto. Essa função é mais encontrada em poemas, mas aparece também em textos publicitários, em prosa e em outros.

Observe esta mensagem. O som, o ritmo, os jogos de idéias e de imagens são explorados no texto, e a linguagem pode atrair o leitor.


Tecendo a manhã
“ Um galo sozinho não tece uma manhã:
ele precisará se,pré de outros galos.
De um que apanhe esse grito que ele
e o lance a outro; de um outro galo
que apanhe o grito que um galo antes
e o lance a outro; e de outros galos
que com muitos outros galos se cruzem
os fios de sol de seus gritos de galo,
para que a manhã, desde uma teia tênue,
se vá tecendo, entre todos os galos
(...)”

(MELO NETO,João Cabral de. Poesias completas. Rio de Janeiro:José Olympio,1986)

***********************************************************

Nenhum comentário:

Postar um comentário