Pular para o conteúdo principal

ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS


São aquelas orações subordinadas que exercem as seguintes funções sintáticas:
sujeito, 
objeto direto,
objeto indireto, 
complemento nominal, 
predicativo
aposto.

exemplos: 

Insinuou nada conhecer.
Pediu que se fizesse silêncio.

As orações subordinadas substantivas classificam-se em: 

1ª. Subjetivas: são aquelas que exercem a função de sujeito em relação a outra oração. Exemplos:
Importa estudar continuamente.
Sabe-se que a situação econômico-financeira ainda vai ficar pior.
Convém que não saias da classe.
Facilita encontrar o sujeito de uma oração interrogar o verbo da oração:
(Importa o que?; o que se sabe?; o que convém?)

2ª. Objetivas diretas: são aquelas que exercem a função de objeto direto de outra oração.
Informamos que os alunos sairão pela porta dos fundos.
Exemplos: 
 Ele não sabia como realizar o sorteio.
Responda se conhece o novo time do Palmeiras.
Olha como tudo terminou bem!
Penso que eles viajarão amanhã cedo.
Temo que alguém saia ferido.
Pedi que saíssem da sala.
 
* Observa-se que o objeto direto é identificado da seguinte maneira: quem confia, confia em alguma coisa; quem sabe, sabe de alguma coisa; quem espera, espera alguma coisa; e assim por diante.

3ª. Objetivas indiretas: são aquelas que exercem a função de objeto indireto de outra oração, isto é, ligam-se à oração principal mediante preposição.
Exemplos:
Preciso de que revejam todas as provas.
Gostaria de que todos me ouvissem.
 
 
*A identificação do objeto indireto é realizada mediante o seguinte procedimento: quem precisa, precisa de alguma coisa; quem gosta, gosta de alguma gosta ; e assim por diante. 

4ª. Completivas nominais: são aquelas que completam o sentido de um substantivo, adjetivo ou advérbio. 
Exemplos:
Ele tinha esquecido de que sua proposta não agradara.
O advogado estava esperançoso de que tudo se resolveria.
 
* Assim como alguns verbos exigem objeto que lhes complete o sentido, há algumas palavras que necessitam de outras que lhes completem o sentido. Assim, pode-se à semelhança dos verbos, perguntar: esquecido de que?; esperançoso de quê?  A reposta a estas perguntas constitui o complemento nominal. 

5ª. Predicativas: são aquelas que funcionam como predicativo do sujeito.
Exemplos:
O bom é que você não desiste nunca.
Meu sonho era entender este assunto.
 
*Não se deve confundir oração predicativa com oração subjetiva. 
Exemplos:
É certo que o Vasco não ganhará do Flamengo = subjetiva.
A oração grifada funciona como sujeito

O certo é que o Vasco não ganhará do Flamengo
= predicativa
A oração grifada funciona como predicativo do sujeito. 

6ª. Apositivas: são aquelas que funcionam como aposto. 
Exemplos:
Sua instrução foi única: estudar sempre
Pedi-lhe um favor: que me chamasse às sete horas.

*************************************************************************************

Comentários

  1. Anônimo7:58 AM

    *A identificação do objeto indireto é realizada mediante o seguinte procedimento: quem precisa, precisa de alguma coisa; quem gosta, gosta de alguma gosta ; e assim por diante. (Gosta de alguma GOSTA???) hehehe favor arrumar *-*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

EXERCÍCIOS - ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS E ADJETIVAS

EXERCÍCIOS SOBRE ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS

01. A opção em que a oração subordinada pode ser considerada adverbial condicional é: a) Desde que o vi, me apaixonei. b) Desde que tenho muito trabalho hoje, não poderei sair. c) Permanecerei aqui, desde que você permaneça. d) Diga-me se a proposta lhe interessa. e) Falou sem que nos convencesse.
02. As orações subordinadas adverbiais assinaladas estão classificadas. assinale a alternativa cuja classificação esteja errada: a) “Nunca chegará ao fim por mais depressa que ande.” (oração subordinada adverbial concessiva) b) “Era tal a serenidade da tarde que se percebia o sino de uma freguesia distante, dobrando a finados.” (oração subordinada adverbial consecutiva). c) Mesmo que faça calor, não poderemos nadar. (oração subordinada adverbial concessiva) d) Ela era tão medrosa, que não saía de casa. (oração subordinada adverbial comparativa) e) Se tudo correr bem, levar-te-ei à Europa. (oração subordinada adverbial condicional)
03. No período: "Era tal a serenidade da tarde, que se percebia o sin…

EXERCÍCIOS - FUNÇÕES DA LINGUAGEM

01. Assinale a alternativa em que a função apelativa da linguagem é a que prevalece: A) Trago no meu peito um sentimento de solidão sem fim... sem fim... B) “Não discuto com o destino o que pintar eu assino.” C) Machado de Assis é um dos maiores escritores brasileiros. D) Conheça você também a obra desse grande mestre. E) Semântica é o estudo da significação das palavras. 02. Identifique a frase em que a função predominante da linguagem é a REFERENCIAL: A) Dona Casemira vivia sozinha com seu cachorrinho. B) Vem, Dudu! C) Pobre Dona Casemira... D) O que ... O que foi que você disse? E) Um cachorro falando? 03. A função metalinguística predomina em todos os fragmentos, exceto em: A) “Amo-te como um bicho simplesmente de um amor sem mistério e sem virtude com um desejo maciço e permanente.” (Vinicius de Morais) B) “Proponho-me a que não seja complexo o que escreverei, embora obrigada a usar as palavras que vos sustentam.” (Clarice Lispector) C) “Não narro…